Porquê as válvulas de mangote AKO?

Beneficie dos serviços do líder mundial de mercado

Tratamento de águas e estações de tratamento de águas

As estações de tratamento de águas — também conhecidas como instalações de tratamento de águas residuais — têm a tarefa de tratar águas residuais de zonas residenciais, recorrendo a processos biológicos, químicos e mecânicos. Depois de as águas residuais terem sido tratadas, podem ser reintroduzidas no ciclo ou descarregadas em rios, riachos ou lagos. As trajetórias das águas residuais e das suspensões dentro das fases individuais de tratamento são controladas por válvulas, válvulas de borboleta e corrediças.

As válvulas corrediças e válvulas de mangote AKO regulam diversos fluidos em estações de tratamento de águas

Estações de tratamento de águas modernas trabalham segundo o princípio de três fases. Neste processo, as águas residuais a processar passam por três fases de limpeza em que as válvulas também assumem o controlo do transporte:

Pré-limpeza mecânica
Na pré-limpeza mecânica, as partículas de sujidade grosseiras são recolhidas e separadas de modo a não entupirem as bombas da estação de tratamento de águas. Nos reservatórios subsequentes (câmara de areia e bacia de sedimentação preliminar), outras impurezas são retidas no fundo (p. ex., partículas de areia ou pequenas pedras) e na superfície (p. ex., óleos ou gorduras).

Fase biológica
Nesta fase, são adicionados micro-organismos (bactérias e leveduras) às águas residuais, que decompõem as impurezas biológicas sob constante fornecimento de ar.

Limpeza química
Na terceira fase de limpeza, as estações de tratamento de águas utilizam reações químicas, tais como a oxidação e a precipitação, para remover sobretudo fósforo das águas residuais. Esta fase é importante para evitar a acumulação de nutrientes nas águas.

A remoção de lamas residuais é regulada com a ajuda de vários tipos de válvula. As lamas são transportadas para torres de digestão ou digestores especialmente concebidos, de modo a serem decompostas em lamas de digestão e em gás de digestão em condições isentas de oxigénio.

Quetschventile & Flachschieber werden in verschiedenen Prozessen in der Wasseraufbereitung eingesetzt

As válvulas de mangote são utilizadas em estações de tratamento de águas e no tratamento de águas residuais sempre que o transporte de águas residuais, lamas e agentes químicos ou biológicos tenham de ser regulados.
Para além das válvulas de mangote, vários tipos de válvula corrediças (p. ex., válvulas corrediças estanques de um lado ou válvulas corrediças com malha de reforço têxtil estanques dos dois lados) são utilizadas na regulação de águas residuais.

As válvulas de mangote e válvulas corrediças podem ser individualmente configuradas para a utilização em estações de tratamento de águas. Com mangas resistentes à abrasão (no caso de válvulas de mangote) ou com empanques adequados e vedantes suaves (no caso de válvulas corrediças), ambos os tipos de válvula podem ser facilmente utilizados no tratamento de águas residuais.

Ambos os tipos de válvula também podem ser utilizados como válvulas de regulação no processo de transporte durante o tratamento dos contaminantes removidos nos processos de clarificação individuais. Do transporte de lamas residuais para as torres de digestão ou durante a remoção de lamas e gases de digestão das torres de digestão — as válvulas de mangote e válvulas corrediças regulam de forma segura e fiável todos os eventuais fluidos.

Líder de mercado mundial

38 anos empresa de família

600 novos clientes anualmente

20.000 clientes em todo o mundo

Promessa de fornecimento exclusiva

< 0,2 % taxa de reclamação

> 99 % dos clientes satisfeitos

30 agentes autorizados em todo o mundo

Maior sortido de produtos

10.000 variantes de válvulas de mangote

2.500 variantes disponíveis a partir do armazém

100.000 unidades vendidas anualmente

Gama de serviços abrangente

80 formatos CAD

32 vídeos de montagem e animação

16 Documentação em 16 idiomas